O que jovens estrangeiros acham do Brasil?

Entrevistei alguns estrangeiros de diversos países para finalmente descobrir a visão do nosso país.

No geral, perguntei sobre segurança pessoal, instabilidade política, qualidade e custo de vida, o jeito do povo brasileiro e pedi para compartilharem alguma história que marcou sua viagem.

Há depoimentos longos e sucintos. Cinco países, cinco pontos de vistas e cinco histórias.

Denbert White – Londres

Denbert

“Passei por São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e em todos os lugares me senti seguro o tempo todo. Tinha escutado falar que no Rio deveria tomar mais cuidado com minhas coisas, mas havia muita presença policial, então não me preocupei muito. Tinham muitos carros de polícias em cada entrada de favela. A única vez que me senti intimidado foi quando fui a um “estabelecimento de cavalheiros” e o segurança nos olhava muito torto e queria cobrar um valor maior que consumimos. Continue reading →

Anúncios

A última dança

Era uma sexta-feira. Andávamos a caminho do centro, levemente alterados e maravilhados com a capital do país. Estava um clima agradável e cantávamos em direção à uma noite que mudaria minha vida. Minha vida que andava ora sem graça, ora vazia, aos poucos preenchidas por fantasias, nostalgias, boemias. A luz do luar nos enaltecia naquele momento. Em meio aos carros com risos causados pelo teor etílico caminhávamos contemplando a sensibilidade e a poesia que as luzes da cidade, os prédios e os cartões postais transmitiam naquele instante de profundo êxtase existencial. Tudo estava ali. Mas, ainda faltava algo. Continue reading →

Temporal

Hoje o vento veio forte.
As portas bateram, os pratos quebraram,
a chuva se aproximou como uma mensagem
em um momento de angústia.
A dança das árvores, o cheiro agradável e
o céu a trovejar. É hora de pensar.
Onde você pode estar?
Pensando bem, nesses escuros é tempo de deixar
os sentimentos partirem com o temporal.
Assim, a janela se abre, a luz do sol reflete, floresce
um novo eu a cada ciclo chuvoso e belo da vida.
Há de vir junto do arco íris o sorriso da alma,
a leveza do coração e o eterno renascimento.

O lado obscuro das redes

Com o avanço tecnológico asinternet_texto pessoas estão cada vez mais conectadas no âmbito virtual e mais propensas ao encurtamento das distâncias. A convivência nas redes sociais alteram o modo das relações e causa superficialidade à paisagem social moderna. Estudos das Universidades de Houston e Palo Alto, nos EUA, revelam que as pessoas que passam mais tempo no Facebook relatam sintomas depressivos mais elevados devido a constantes comparações sociais.
Continue reading →

O menino do centro

spUma quarta-feira qualquer numa padaria no centro de São Paulo.

– Ô tio, tem um trocado pra me arrumá?

Com a cabeça tomada pelo stress cotidiano, pensa em passar reto, mas olha de rabo de olho e diz:

– Trocado eu não tenho, mas posso te pagar um lanche. Quer?

– Quero um salgadinho, tio.

Observando o menino devorar o conteúdo venenoso dentro do pacote, com embalagem de cores vibrantes bem famoso entre as crianças, percebeu que aquela fome não era somente a que vinha do estômago. Era a fome que vinha também do coração sedento por atenção. Continue reading →

Intolerância Religiosa

imagem_4302_381É possível considerar a intolerância religiosa como um atraso para sociedade brasileira. Ultimamente tem acontecido casos de violência e desrespeito ligados à religião em todo território nacional. Acredita-se que isso não ocorra somente como uma forma de violência gratuita, mas também como um espelho da educação desses agressores.
Continue reading →

A luta inacabável

mulher_negra_-_Vanessa_Long_-_pinterest

Com vida sossegada, Geni acorda por volta das 7h, dá uma volta no jardim até decidir qual fruta irá escolher para o café da manhã. Vivaldo, na tranquilidade, cuida de seus queridos passarinhos ao som de uma moda de viola. Antes de pegar no batente, Geni costuma deixar o feijão de molho, verificar sua agenda de clientes do dia, varrer a calçada e conversar com alguns vizinhos sobre algum fato ocorrido durante a noite, tudo muito sereno. Às 9h abre o salão e mostra que veio pra ficar na cidade. Entre tesouradas, químicas malucas e cores inusitadas, Geni vive a vida que sempre quis. Mas, nem sempre foi assim. Continue reading →