Homens x mulheres

Homens. Todos querem uma coisa. Vivem em busca da paixão, do fogo, do novo. Mas, ao mesmo tempo, querem o certo. O aconchego, o alimento, o ombro, o ouvido, o porto seguro… uma mãe. Sem julgamento. A maioria deles foi criada assim e não espera algo muito diferente.

Almoço de família: as mulheres cozinham, as meninas limpam e ajeitam tudo, enquanto os meninos brincam e jogam vídeo game. Os homens esperam o chamado: “o almoço está pronto”.

Certamente, eles, como todos nós, se apaixonam, se enlouquecem, se perdem. Mas, com o tempo, se desinteressam, se entediam e esquecem. Procuram a paixão, o fogo, o novo. Outra vez.

Assim também como as mulheres, se não tivessem tanta pressão, se não tivessem que carregar o eterno fardo do medo do fracasso e o fantasma da frustração enquanto “provedoras” do lar.

-“Minha mulher” mudou, sabe? Antes era diferente. Era mais animada, mais carinhosa, mais bonita, mais atraente.

Lava, passa, cozinha, limpa, depila, corre, trabalha, faz sala, não para, faz unha, cozinha, não para, esteja linda.

-Você é louca. Como você fala que eu só faco isso? Trabalho o dia todo! É TPM. Liga para as amigas. Vai lá! Conta pra sua mãe como sua vida está ruim! Conta! Ela vai sentir vergonha de você. Onde você vai? Que roupa é essa? De novo até mais tarde no trabalho? Ônibus atrasou? Sei…

-Estou brincando. Você é muito nervosa! Vem cá! Que saudade! Nunca amei ninguém assim.

A sogra. A família. Os colegas de trabalho. A igreja! As fotos do dia que sempre sonhei. A sociedade.

-Mas já vai separar? Ele tem razão! Você não pode fazer isso. Você decidiu ter filho, agora tem que cuidar. Coitado, ele trabalha muito. Dá atenção para ele. Compra uma lingerie. Agrade. Aguente. Vai passar. É só uma fase. Você precisa manter a família unida. Família.

O cárcere. Da mente, da cobrança, do sorriso forçado, do peso. O peso que nos é vendido desde crianças… ou eu que fracassei? Todos felizes e amados. Vejo sempre no Facebook. Fracasso. Por que cheguei a esse ponto?

Precisava crescer. Sair de casa, daquele bairro, daquela angústia, daquela tortura, dos abusos diários. Mas tudo começou por uma coisa: o corpo.

O que é o corpo? É um momento. O agora. O feminino. Belo, esbelto, saudável, com carne – mas não muita. O corpo diariamente julgado, desejado, objetificado, maltratado, apunhalado, dilacerado.

-Ô lá em casa! Mas você é muito bonita para trabalhar com isso. Vamos tomar um café? Quer uma carona? Vou te levar para comer num lugar inesquecível. Famosos, políticos e empresários vão lá. Não? Tem certeza? Analisamos e infelizmente seu perfil não se encaixa mais na equipe.

-Se eu vou à barbearia e gasto um dinheiro, por que ela não pode se cuidar mais?

Estica o cabelo com amônia, esconde os brancos, corta sua pele para as unhas ficarem bonitas, aplica botox, coloca silicone nos seios, na bunda. Estica! Arruma a postura! Bota salto. Seja gentil, mas sem se insinuar. Seja bem humorada, mas ria baixo. Jamais fale palavrão. Seja cordial. Feliz. Limpa. Linda. Angelical. Se expresse, mas só ao compartilhar receitas, dicas de beleza ou novas posições na cama – para seu marido.

-Seja livre! Seja emponderada! Mostra quem manda! O mundo é das mulheres! Como podemos aceitar ganhar menos que os homens?

-Você é formada? Tem filhos? Quantos anos? É casada? Mas com essa idade já tem filhos? Infelizmente seu perfil não se encaixa na vaga.

-Vou assistir jogo com os amigos. Volto logo. Uma, duas, três, quatro. O que estou fazendo da vida? Preciso mudar.

-Vamos conversar. Você está louca? O que eu fiz? Sempre fiz tudo por você, por nós, pela nossa família. O que eu fiz de errado? Não mereço isso. Eu te amo! Não pode abandonar tudo que já construímos. Vem cá, amor. Para com isso. Trouxe um bombom para você.

Acorda. Lava. Passa. Faz. Corre. Trabalha. Produz. Não para. Não pensa.

Tudo começou por um motivo: para um, o corpo. Para o outro, a esperança.

Expectativa, fábula, livramento, perdão, sentimento.

Sentimento. O que é o sentimento? É simplesmente uma afinidade. Começa de um jeito satisfatório e aceitável até se tornar uma ameaça ao brilho do outro, ao ego, ao pertencer. Às vezes pode se mascarar de amor.

Amor. O que é o amor? Ninguém consegue descrever. Por que? Porque nunca vamos saber o real significado por sempre envolver interesse, ego, dinheiro, controle… Seres humanos.

A paixão, o fogo, o novo.

O êxtase, a ansiedade, o desejo, o bem, o estar juntos. Sou seu, você é minha. Na alegria e na tristeza. Até que a morte nos separe.

Posse, ciúme, vaidade, ego, controle. Isso ainda é àquele amor que eu aprendi nas fábulas? Eles não mostravam isso no fim.

Enfim.

Lembre-se: felizes para sempre.

Na alegria. Na tristeza. Na saúde. Na doença.

Igreja. Família. Honestidade. Trabalho. Amor.

Doutrinação. Controle. Medo. Submissão. Ilusão.

One Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s